Adeílson Salles e Luis Roberto Scholl conversam com jovens sobre família e educação com Jesus

Refletir sobre a atuação da família na construção de hábitos sedimentados em princípios evangélicos foi um dos objetivos da Oficina Família: Instituição Educativa, que ocorreu neste domingo, 13, dentro do 3º Espaço Jovem do 10º Congresso Espírita do RS. Através de dinâmicas, esquetes e diferentes formas de expressão, os jovens mostraram o que pensam sobre os laços de família e sobre parentesco corporal e espiritual. Além disso, conversaram e trocaram impressões sobre a educação com Jesus no contexto familiar e de que forma as relações do cotidiano podem ser enriquecidas com os ensinamentos do Mestre.


Na sequência da oficina, os escritores espíritas Adeílson Salles e Luis Roberto Scholl, que atuam no seguimento de obras juvenis espíritas, participaram de um descontraído bate-papo com os jovens sobre a temática do encontro, entre outros assuntos. Respondendo a questões sobre os desafios em família, aceitação, doenças da alma como depressão e ansiedade, entre outros, os autores expuseram a necessidade de se viver com responsabilidade, sem abrir mão da essência de cada um.


Com relação aos diferentes modelos de família, Adeílson disse que o amor é o sentimento que molda os laços de convivência. “Toda família tem que ser respeitada independente de sua constituição. Todo lar que exista amor, é um lar com Jesus”.


Sobre a vivência dos ensinamentos do Cristo, o escritor pediu persistência, mas também cautela. “Vocês não precisam virar anjos na Terra. Esta ideia é equivocada. Vocês têm que viver como jovens deste tempo, mas jovens esclarecidos, sabedores de que há algo mais além, entendendo que cada ser tem a sua trajetória e o seu próprio caminho a seguir”, disse Adeílson.  “Nós espíritas sabemos que há vida após a morte, mas temos que ter vida antes da morte. Viver bem! Com alegria, responsabilidade, mas sendo quem somos de verdade e não obedecendo a padrões exteriores. Valorizem a vida de vocês. Somos o maior investimento de Deus”, continuou o escritor.


 “Toda família tem que ser
respeitada independente
de sua constituição.
Todo lar que exista amor,
é um lar com Jesus”.
Adeílson Salles

Ana Paula Ribeiro, também escritora de obras infanto-juvenis e esposa de Adeílson, não ficou imune aos questionamentos dos jovens. Feminismo e aborto entraram na pauta do bate-papo coma  gurizada espírita. “Com relação ao feminismo temos que cuidar com os extremismos. Mas, sem dúvida a mulher deve lutar sim, por igualdade, por respeito e pela liberdade de ser feliz onde for, tanto sendo uma dona de casa, quanto uma profissional que trabalha fora do lar”, disse. Sobre o aborto, Ana Paula lembrou da visão espírita sobre a valorização da vida e de que os homens também são responsáveis por esta decisão que, na grande maioria das vezes, recai somente sobre os ombros das mulheres.


Os conflitos familiares, tão normal entre pais e filhos, também mereceu atenção no momento com os autores. Luis Roberto Scholl lembrou aos jovens de que todos devem ser gratos pelas pessoas que concederam a possibilidade de eles estarem reencarnados neste plano. “Só pelo fato de estarmos aqui, devemos ser gratos a nossos pais. Independente do tipo de relação que temos com eles. Devemos lembrar de que tanto vocês quanto eles têm uma bagagem específica na senda evolutiva e isto deve ser compreendido”, ressaltou Scholl. Perguntado sobre como praticar os ensinamentos do Cristo hoje, em uma sociedade como a nossa, Scholl foi categórico: “É simples. Fazer ao outro o que eu gostaria que o outro me fizesse. Não tem erro”, disse diante dos aplausos e sorrisos dos participantes.


“Só pelo fato de estarmos
aqui, devemos ser gratos
 a nossos pais.
Independente do tipo de
relação que temos com eles.”
Luis Roberto Scholl


68 visualizações

© 2018 por Federação Espírita do Rio Grande do Sul

Área de Comunicação Social Espírita

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram