“Cada vez que eu retorno a Jesus, eu conheço ele pela primeira vez”

Sérgio Lopes falou na tarde de sábado (12) sobre a educação integral com Jesus através de suas parábolas


Para encerrar os painéis do sábado (12) do 10° Congresso Espírita do RS, o psiquiatra e psicoterapeuta Sérgio Lopes falou sobre o tema “Educação Integral como elemento de harmonia na sociedade”.


O ponto de partida da reflexão foi a questão 625 do Livro dos Espíritos: “Qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem, para lhe servir de guia e modelo?”. A qual os espíritos respondem com a resposta mais curta do Livro: “Jesus.”


Para o painelista, isso significa que Jesus é um modelo possível de ser seguido e acompanhado. “Muitas pessoas entendem Jesus como um modelo inalcançável, que não pode ser atingido, uma espécie de Deus, que está fora das nossas possibilidades, mas não é o que diz o Livro dos Espíritos”, indicou.


Lopes convidou o público a uma reflexão para observar os níveis que estão dentro de cada um e que podem ser desenvolvidos. “A educação integral envolve a evangelização. Mas para muitas pessoas, a evangelização é um processo de angelitude, como se fosse um trabalho que temos a fazer para deixarmos de sermos humanos e nos tornarmos uma espécie de santos”, destacou.


Para olhar para esses níveis, Lopes explicou 3 etapas do nosso desenvolvimento humano para atingirmos a educação integral, começando pelo Pestalozzi, mestre de Allan Kardec. Pestalozzi desenvolveu um método pedagógico e tinha uma ideia muito positiva do ser humano, dividido em 3 níveis de estados emocionais e psíquicos:


1) Estado Natural - nos fala da criança. Para Pestalozzi toda criança nasce boa em origem. A religiosidade naquilo que tem de mais terno passa principalmente pela relação da criança com a mãe. Uma mãe amorosa auxilia a criança a potencializar sua bondade. Como exemplo: Jesus em sua relação com Maria.

2) Estado Social - as relações mais primitivas precisam de regulação através do convívio com a sociedade, um processo de filtro dessas tendências primitivas, fazendo com que possamos evoluir e traduzir na convivência única.

3) Estado Moral - culminância de estruturas que estão dentro de nós que estão esperando para serem potencializadas. Relação com Deus e a espiritualidade.


O painelista indicou que Kardec chegou ao estudo das Leis Morais com o entendimento dos Estados de Pestalozzi. Quando Kardec lança o Livro dos Espíritos ele também fala dessas Leis Morais, em uma correspondência com os níveis:

Estado Natural: Lei de Reprodução, Lei de Conservação, Lei de Destruição

Estado Social: Lei de Sociedade, Lei de Progresso, Lei de Igualdade, Lei de Trabalho e Lei de Liberdade

Estado Moral: Lei de Adoração, Lei de Justiça, Amor e Caridade, da Perfeição Moral.

Lopes destacou que são exatamente as leis morais que regulam a nossa vida, mas de todos os estudos e de diversos autores, o principal deles nos ensinou em espírito e verdade e através de exemplos.


“Jesus já nos falava que nossa natureza humana, do jeito que ela é, é divina também (...) Cada vez que eu retorno a Jesus, eu conheço ele pela primeira vez. Eu vejo o quanto estamos ainda engatinhando em relação aos ensinamentos e a majestade desse espírito que continua a nos inspirar no aprendizado para nossa felicidade”, relatou.


O psicólogo lembrou que Jesus não fazia palestras ou escrevia livros. Ele é o exemplo vivo, e através das parábolas nos ensinava a educação integral através de suas parábolas. “Jesus falava por parábolas, pois ele sabia que quem guarda o ensinamento são as crianças. É a criança que está dentro de nós. As crianças adoram ouvir histórias, mas não só elas, é a nossa criança interna. É isso que fica guardado dentro da nossa memória. Quando ele contava suas parábolas, ele sabia que o ensinamento ficaria marcado”,


Ao encerrar, Lopes indicou que Jesus exalta nosso potencial de relacionamento divino, com a nossa matriz de ligação com Deus que está dentro de nós e proferiu com o público a Oração de São Francisco como demonstração das ações partirem do interior de cada um.

218 visualizações

© 2018 por Federação Espírita do Rio Grande do Sul

Área de Comunicação Social Espírita

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram