"Estamos presenciando na Terra o período mais singular da nossa trajetória espiritual"

As atividades da manhã de hoje (13) encerraram com o painel Liderança Educadora inspirada em Jesus, ministrado por Vinícius Lousada. O painelista iniciou sua exposição expressando a gratidão por todos que construíram caminhos e possibilidades para os trabalhos que hoje realizamos. E também a gratidão de entre nós, que nos influenciamos mutuamente na conquista do Reino de Deus. “Liderança educadora inspirada em Jesus demanda uma profunda gratidão”, afirma, pois alguém nos influenciou ao ponto de nos provocar que querer influenciar positivamente outras vidas.

“Nós estamos presenciando na Terra talvez o período mais singular da nossa trajetória espiritual”, explica. É um período das “dores do parto”, no qual se agitam as entranhas da alma. Somos provocados a “adentrar na era do espírito com o coração sintonizado com a proposta do amor ensinada por Jesus”.


Vivemos em um período em que dialogam elementos de duas gerações: uma já voltada para o bem, ainda que pise no lodo das próprias imperfeições; e também uma voltada para as sombras, que se deixam levar pelas paixões inferiores, inspirando nossa compaixão. É um período em que as dores se tornam mais acerbas, tornando os testemunhos são mais exigentes. É indispensável vivermos à luz do Consolador. Lousada incita que “influenciemos positivamente a ordem social a partir de nós próprios, constituindo, com desejo e humildade, uma nova compreensão da vida materializada nos nossos pensamentos, nas nossas emoções, nas nossas ações”.


“Se queremos constituir uma sociedade pacificada, uma humanidade como coração mergulhado na era da regeneração, necessitamos assumir o dever de liderar”, destaca Lousada. Essa liderança não deve ser confundida com cargos ou com a autoridade do terra-a-terra; é uma liderança à luz do evangelho. Lembrando que Jesus diz que quem quiser ser o maior, deve fazer-se o menor, servo de todos.


Para que essa nova era se construa, afirma Lousada, "nós necessitamos elevar nossos sentimentos pela prática do amor". É uma prática desafiadora em um momento de desafios.

A exemplo de Jesus, que, como exemplifica o painelista, “jamais se deteve no aspecto sombrio de companheiro nenhum”, devemos espalhar o amor em pequenos gestos. "Nessa necessidade de levarmos o sentimento, todos nós nos educamos em comunhão", explica.

Assim, as três metas do espírito imortal são: o amor, a justiça e a compreensão. O desenvolvimento dessas virtudes deve sempre estar comandado pela amorosidade. O amor é incompatível com o ódio e, esclarece Lousada, "é impossível ser cristão e desejar o mal para alguém; é irreconciliável ter o evangelho por bússola e nutrir, em palavras ou ações, o ódio contra quem quer que seja".

“O Evangelho é uma canção de não-violência”, destaca, por isso nos conduz ao que precisamos para o momento, que é a liderança inspirada em Jesus. Ele é o guia, quem nos conduz, "tipo de perfeição moral que o homem pode aspirar na terra" (Livro dos Espíritos. Allan Kardec. Questão 625). “A influência do Cristo é no cerne de cada um de nós, de liderança inesquecível”, reflete Lousada.


Contudo, a liderança do Cristo é liderança de renúncias. E nessa jornada, tomamos consciência em busca de transformar os vícios em virtudes. São os gestos do cotidiano que nos tornam esses líderes, na medida em que influenciamos pessoas para o bem. Somos as cartas vivas, de que fala Paulo, que anunciam o Evangelho. A exemplo de Jesus, finaliza Lousada, o "líder é esse servidor que olha alguém e diz: essa criatura tem potencial! É o que vê a estrada cheia de pedregulhos e, com uma visão de futuro, diz: que bela estrada que vai dar! É quem olha nos olhos do outro e vê o filho de Deus a pulsar naquele coração".

366 visualizações

© 2018 por Federação Espírita do Rio Grande do Sul

Área de Comunicação Social Espírita

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram